quarta-feira, 17 de maio de 2017

MONDEGO “SABORES E SABEdores”- In "Pecados de Encontrar"



Ao pass(e)ar por Coimbra
Do pouco cansaço descansa
E cá debaixo da colina
Olha a Torre que o encanta.
É na Portela que veste
A pose conquistadora,
É na Lapa que fortalece
A sua veia inspiradora.
Lentamente… Sornamente
Vai desfrutando a paisagem
Espraiando-se languidamente
Pelos Parques e pela Portagem.
Saudoso dos laranjais
Das Tricanas e Profetas
Vai abafando os seus ais
Nas guitarras dos poetas.
Não segue o seu percurso
Sem uma vénia discreta
Ao Torga e seu discurso
E… etc e tal
Mais ao Paredes e A. de Portugal.
Desce depois o degrau
Satisfeito do que viu
Cumprimenta o Choupal
Sem ondas, nem marés nem arrepios.
Agora, sem areal
E desprovido de atavios,
Em Montemor convive com arrozais.
Na Foz, espraia-se com amor
Envolto e besuntado de sais.
Finalmente entra, e ao entrar no mar

Abraça as ondas e as marés...
Mas, agora com arrepios,
Viaja com os navios
Correndo o mundo de lés-a-lés.     
                             

sexta-feira, 5 de maio de 2017

E, porque amanhã é sábado... Dia treze é de amanhã a oito dias... Seja bem vindo quem vier por bem.

domingo, 16 de abril de 2017

Deixo um CONVITE para todos aqueles que puderem e quiserem estar presentes no lançamento de "Pecados de Encontrar". Amizade não se conjuga no passado… e quem quer, tem sempre tempo. Conto convosco e deixo um abraço fraterno.

quarta-feira, 22 de março de 2017



Para o dia da Poesia  -  SER POETA

Retirando palavras do silêncio
Como o amor, o ciúme ou a saudade
Vai construindo teias de ilusão
Lançando pontes de angústia na vontade
E escrevendo para enganar a solidão…
No amor romântico não inventa:
Inconscientemente vai atrás da desilusão
Buscando no cálix da ventura
A desventura que o atormenta.
Se viver é não pensar
O poeta pensa para se refugiar…
Para ser rei do mundo, em sonhos,
O destino deu-lhe o dom de sonhar…
… E ser poeta é gostar de palavrar!...

Poeta! Poetas!
Enlouquecem na busca da ambição
Que não atingem, mas alimentam
E poucos sabem quem são e não são.
Poetas da prosa que não escrevem
Fazem versos em prosa
Do amor que não vivem, mas,
Por dentro e por fora, conhecem …
Assim, tudo querem e nada podem!

Ser poeta é ser dono do mundo,
Ser dono de tudo e de coisa nenhuma,
Ser a ponte entre o que faz e não faz,
Entre o que quer e tem, e o que quer e não tem.
Ser poeta é ser e estar e não estar e ser… livre.
É estar apaixonado nos intervalos
Entre as coisas que não são nada e as que são alguma coisa…
Enfim… são o intervalo entre o que são e o que não são.

  In “ Pecados de Encontrar”

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

NATAL
 
É Natal!
Nesta noite, o absoluto
Dá conforto ao relativo.
E eu, todos os anos renasço
E renovo a condição em que vivo:
Esta esperança de pecador impenitente
À espera da absolvição promitente.
É Natal!
O mundo repovoa-se de fraternidade
E o fascínio do imaginário desce à cidade...
É Natal! É Natal!

(Poema e ilustração de JCST)


sábado, 26 de novembro de 2016

Trás-os-Montes - Nabo, Vila Flor
          Fotografia de Anibal Augusto - excelente fotógrafo transmontano
Trás-os Montes

São três meses de inferno
 E nove de inverno,
… Diz o provérbio…
Terras calorosas e quentes
De calor humano presente
E comeres de enchente.
Combate-se o frio gelado no inverno  
Com o fumeiro, e da lareira o calor fraterno,
A pinga da pipa, a marrã na brasa
O ‘caldo coado’ com o pão migado…
O xaile negro de lã, as socas e o avental
O capote, o sombreiro e a cabaça no bornal,
Na taleiga o pão e o peguilho e etc e tal…
Com arnaz, amor à terra e à família
Vencem a luta, o luto e o dia-a-dia.
De singelos sentimentos, sentem
A dor dos inocentes que pressentem.
Com grande entreajuda, se ajudam,
E o comunitarismo, aos 4 ventos, ‘bajulam’.
É este Trás-os-Montes que relembro
Lembrando a dor envolta na escuridão
Em forma de traje negro entrelembro
As mulheres-formiga angariando o pão
Que o diabo amassou, mas de janeiro a dezembro
É a labuta duma luta a que não podem dizer não.
Mas se não partiu, o transmontano
Para fora ou para dentro da terra
É vê-lo todos os dias do ano
Desbravando as entranhas da serra.
Curvado, transporta silenciosamente
Todos os males e bens que a vida austera
Lhe reservou, mas vence perseverantemente.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Planeta TERRA

Formada há 4,56 biliões de anos
[(Big-Bang), para os evolucionistas
E entre 6 a10 mil para os criacionistas (Deus)]
É o planeta dos meus planos.
Tem forma arredondada,
Mas devido ao seu movimento,
Nos polos é achatada.
Constituída por 5 continentes:
(América, Europa, África, Ásia, Oceânia e Antártida);
5 Oceanos(: Pacífico, Atlântico, Glacial Ártico
Índico e Glacial Antártico).
Tem muitas linhas imaginárias: Paralelos e Meridianos…
Os Trópicos de Câncer e de Capricórnio: os principais
Mais a linha do Equador e o Meridiano de Greenwich
Dividem ao meio: uns horizontais, outros verticais.
Realiza o movimento de rotação
Em torno do seu próprio eixo e dura quase 24h
E, em volta do Sol, o movimento de translação
Demorando 365 dias e 6 horas mais.
O seu eixo tem uma inclinação de 23,4 º
E é responsável pelas variações sazonais.

É o terceiro planeta do Sistema Solar
O mais denso, e o quinto maior…
É o maior dos planetas Telúricos a considerar…
Designado por Planeta azul
É o único onde é conhecida vida
Mas, não havendo cuidado, fecha-se a porta de saída.
A protegê-lo, há a camada de ozono, em geral
E o campo magnético terrestre
Que bloqueiam a radiação solar prejudicial.

71% da superfície da Terra ( 361 milhões de km2)
Está coberta por oceanos de água salgada…
Os polos geográficos cobertos de gelo e mais nada.

Tem várias camadas internas
Sendo a crosta a mais externa
Toda a vida animal e vegetal “está” na biosfera, mas
Existe ainda a atmosfera, a litosfera e a hidrosfera.
Constituída por vários gases (azoto, oxigénio e árgon),
A atmosfera serve para a proteger dos ultravioletas
Dos asteroides e cometas
E prover o oxigénio para a respiração dos seres vivos.
Na litosfera estão as 12 placas tectónicas principais
Subdividindo-se noutras de menores dimensões;
Quando uma fricciona outra, podem dar sinais:
Terramotos, tsunamis, outros fenómenos e vulcões.

A Lua é o seu único satélite natural
Que nas suas fases aparece, muitas vezes, de viés
E é responsável por alguns eclipses e marés.
E, agora, para confirmares de que planeta se trata
Falta dizer que está situado na Via Láctea.